contato@instituto.esp.br 92.3656-5513
contato@instituto.esp.br 92.3656-5513
Conheça o Direito Sistêmico
Área que humaniza judiciário brasileiro

O ano de 2021 já começou com força total e trazendo muitas mudanças para o país, prometendo muitos acontecimentos e transformações. Por esta razão, abordaremos uma área pouco falada do mundo jurídico, o Direito Sistêmico, uma “nova” área do Direito que vem sendo cada vez mais reconhecida e aplicada no sistema judiciário, na resolução de conflitos judicial e extrajudicial.

Mas o que é o Direito Sistêmico?

É uma abordagem sistêmica do direito, que propõe a aplicação da ciência jurídica com um viés terapêutico. O Direito Sistêmico visa utilizar as leis para tratar questões geradoras de conflito sob uma ótica que rege as relações humanas utilizando das Constelações Familiares para trazer à tona a raiz do problema/conflito e encontrar o caminho para a solução/pacificação sem impor às partes uma decisão (sentença), favorecendo assim a conciliação e evitando novos conflitos.

Conheça o Direto Sistêmico: área que humaniza judiciário brasileiro
Fonte: Educa Brasil

Idealizado pelo juiz Sami Storch com o intuito de trazer as técnicas de Constelações Familiares, sistematizada por Bert Hellinger para o Judiciário brasileiro, a proposta do Direito Sistêmico envolve:

  • Compreender a origem do conflito ou determinado comportamento;
  • Buscar novas possibilidades na resolução de conflitos;
  • Trazer percepção e liberação de padrões e crenças limitantes;
  • Equilibrar o sistema trazendo nova ordem;
  • Ampliar a consciência sobre os papéis de cada um.

Aplicabilidade do Direito Sistêmico O Direito Sistêmico não se trata de um método alternativo de solução de conflitos, mas uma mudança de paradigma na forma em que encaramos e nos colocamos perante eles. Sua abordagem pode ser utilizada nas mais diversas áreas do Direito e em qualquer fase do conflito. É possível utilizá-la no âmbito consultivo, na elaboração de contratos e como base para compreensão e fixação de acordos, quanto no âmbito de gestão e solução de conflitos, quer seja numa fase pré-processual, quer concomitante ao próprio andamento de um processo judicial. Apesar de seu início ter se dado no direito de família, o Direito Sistêmico pode ser aplicado em todas as áreas, pois há resultados positivos de sua prática nas relações empresariais, direito das sucessões, direito penal, relações civis em geral, direito do trabalho e Previdenciário, entre outros.  Benefícios do direito sistêmico O direito sistêmico possibilitou uma nova abordagem ao Direito, focada na compreensão dos fatores que influenciam o comportamento humano. A prática do direito sistêmico permite avaliar de forma estratégica as raízes do conflito e as perspectivas de solução. Com ela, é possível:

  • realizar um diagnóstico da situação,
  • trazer à luz da consciência os vínculos, relações, emoções e papéis que estão em jogo sem ser devidamente reconhecidos,
  • ver quais implicações inconscientes funcionam estão atuando; e
  • chegar-se a uma solução, já que os princípios de direito sistêmico permitem intervir de forma rápida e eficiente incluindo, equilibrando e ordenando o sistema a partir de exclusões, desequilíbrios e desordens descobertos.

Sua proposta engloba encontrar a verdadeira solução dos conflitos, que não se coloca como a vitória de uma parte sobre a outra, mas sim abrange todo o sistema envolvido no conflito e a compreensão da interdependência dos indivíduos.

Conheça a Pós-Graduação em Mediação, Conciliação e Arbitragem

Reconhecido pelo MEC

A especialização em Mediação, Conciliação e Arbitragem do ESP Amazonas buscará formar profissionais que possam atuar enquanto medidores, conciliadores e até mesmo árbitros para atuarem extrajudicialmente através de uma formação teórica e prática com a apresentação de técnicas utilizadas nos meios alternativos de resolução dos conflitos.


Texto: Silvia Calderaro com informações do Blog da Aurum.